Tellington Touch, TTouch ou Técnica do pano, para cães com medo de fogos de artifício, chuvas e trovões

Cães Educados Comportamento e Educação de Cães

Tellington Touch, TTouch ou Técnica do pano, para cães com medo de fogos de artifício, chuvas e trovões

Se seu pet tem medo desses eventos, segue uma técnica muito eficaz para acalmá-lo: Tellington Touch, TTouch ou “técnica do pano”. Veja também a playlist de “Meditação para Cães Educados” que criei no aplicativo Spotify, que pode ser usada para acalmar o cão (siga Flac no Spotify).

Com base em pesquisas, podemos conceber que essa técnica foi criada por Temple Grandin, escritora autista especialista em bem estar animal que projetou em 1965 a máquina do abraço, que acalmava o gado após serem pressionados. “O dispositivo foi criado inicialmente para aliviar a ansiedade e tensão em pessoas com hipersensibilidade, especialmente pessoas com autismo. Conforme sua criadora, a máquina do abraço visava simular a sensação física de um abraço, limitando o espaço e pressionando o corpo para gerar uma sensação de bem-estar e tranquilidade.” (Carlo Schmidt, artigo “Temple Grandin e o autismo: uma análise do filme”)

Alguns estudos científicos se dedicaram a verificar a eficácia da máquina de Temple, demonstrando uma sensível redução sobre os níveis de tensão, ansiedade, estereotipias e comportamentos diruptivos em pessoas com autismo. (GRANDIN, 1992; EDELSON et al., 1999)

Mais tarde, a técnica foi aprimorada pela especialista em animais Linda Tellington Jones, e passou a ser aplicada em várias espécies.

Há vários tipos de amarrações do tecido, que proporcionam uma pressão em alguns pontos do corpo do animal, enviando uma mensagem ao sistema nervoso e tranquilizando-o. É como se ele estivesse sendo abraçado, ou contido. Podemos pensar nos bebês humanos, quando estão chorando ou nervosos, e são abraçados ou amarrados em panos e cobertores pelas mães. Ele se sente protegido, e também recebe como se fosse uma acupressão nesses pontos, amenizando o stress causado pelos sons externos.

Seguem formas da amarração, ensinadas por Eugenie Chopin, no site https://www.friendsofthedog.co.za/body-wraps.html. Você pode utilizar faixas de bandagens (dessas que são vendidas em farmácias), tecidos de malha, ou roupas que realizam essa função e cobrem os pontos específicos para o funcionamento da técnica.

Amarração de meio-corpo

Coloque o centro do faixa no centro da parte superior do cão. Traga as extremidades de cada lado para cruzar os ombros, depois para baixo atrás das pernas dianteiras, cruzando sob a barriga e até o centro das costas.
Variação: À medida que o cão se ajusta, puxe a parte presa de volta para a parte inferior da coluna. Mais tarde, puxe-o de volta ao redor dos quadris no topo da cauda. Esses ajustes fornecem alguns dos benefícios de um envoltório de corpo inteiro e ajudam o cão a aceitar essa configuração.
Variação: Coloque o envoltório de meio corpo sobre uma camiseta.

Amarração frente da coxa

Coloque a faixa no peito logo abaixo da frente do pescoço do cão, puxe as extremidades para cima e nas costas. Em seguida, entre as duas pernas da frente e ao lado da cauda, e retorna ao longo das costas. Tenha cuidado para não ficar em cima da cauda, especialmente se for um cão que já tenha problemas de confiança.
Variação: Você pode preferir descer pela parte de trás e por cima das nádegas primeiro, depois para baixo ao lado da cauda, sob a perna de trás para a frente e, finalmente, subir a lateral do corpo e fixar as 2 bandagens já abaixo do corpo.

Amarração Dupla

Use um único comprimento de elástico ou duas ataduras presas / costuradas juntas. (Depende do tamanho do seu cão). Coloque o centro do envoltório sobre o centro do peito do cão. Puxe as extremidades para trás e para cima para cruzar os ombros, para baixo para atravessar a barriga, até cruzar a parte inferior das costas, depois pela parte interna das coxas da frente para trás e para cima de cada lado da cauda até a cruz. Amarre as extremidades nessa intersecção.
Variação: (ou # 1 ou # 2): Em vez de puxar as extremidades para cima em ambos os lados da cauda, enrole a extremidade esquerda ao redor da perna posterior esquerda e prenda-a no lugar na parte superior da coxa; Enrole a perna direita da mesma maneira. Esta variação envolve as pernas traseiras. O envoltório deve ser justo, mas não apertado o suficiente para interferir na caminhada.

Amarração completa

Use um único comprimento de elástico ou duas bandagens presos juntos. Segurando uma extremidade curta, amarre um nó solto ao redor do pescoço do cachorro ou prenda os pedaços juntos. Puxe o resto da bandagem para baixo da coluna até a base da cauda. No lado direito da cauda, leve a faixa para baixo dentro da perna traseira direita e na direção da frente da perna, depois para cima e cruze a pequena parte de trás para o lado esquerdo. Isso cria uma peça transversal de flanco a flanco.
Passe o envoltório pela parte interna da coxa esquerda, da frente para trás e para cima, na parte traseira do lado esquerdo da cauda. Enfie o invólucro sob a peça transversal de flanco a flanco e leve-o até o pescoço [se você tiver envoltório suficiente] e dê o nó onde o invólucro se conecta logo atrás do pescoço.
Nota: Se o seu envoltório é muito curto, aperte o nó onde a “peça cruzada” passa sobre a parte inferior das costas.

ATENÇÃO:

Cuidado para não deixar o nó final da amarração em cima da coluna vertebral do cão, sempre o deixe ao lado do corpo.

Roupas thundershirt (tradução livre “roupas de trovão”)

Possui partes mais rígidas, que proporcionam uma suave pressão nos pontos acima citados, e produz o efeito calmante da técnica. A vantagem de comprar essa roupinha é que ela já vem pronta, diferente dos tecidos com os quais você mesmo precisa realizar a amarração da forma correta.

Qualquer dúvida, estou á disposição. Bom treinamento!

Bjs caninos’

Flávia Campos, Especialista em Comportamento Animal desde 2008, e pós graduanda em Naturopatia pela Universidade Paulista

Nenhum comentário

Adicione seu comentário